martes, 27 de diciembre de 2016

XV DE PIRACICABA * PARTE 1

XV DE PIRACICABA

O Esporte Clube XV de Novembro, mais conhecido como XV de Piracicaba, é uma agremiação brasileira de esporte da cidade de Piracicaba, interior de São Paulo.
Fundado em 15 de novembro de 1913, o XV de Piracicaba é um tradicional clube paulista que já foi vice-campeão do Campeonato Paulista da Primeira Divisão, quando seu presidente era o lendário Romeu Italo Ripoli. Além disso, conquistou cinco títulos no Campeonato Paulista da Série A2 e um título no Campeonato Brasileiro da Série C.
Atualmente, o XV de Piracicaba disputa a Série A1 do Campeonato Paulista e a Copa Paulista.
Nome                 Esporte Clube XV de Novembro
Alcunhas           XV
Nhô Quim
Torcedor/Adepto     Quinzista
Mascote             Nhô Quim (Caipira)
Fundação          15 de novembro de 1913 (102 anos)
Estádio              Roberto Gomes Pedrosa (antigo/demolido)
Barão de Serra Negra (atual)
Capacidade                 18.000 lugares [1]
Localização                  Piracicaba (SP)
CIDADE DE PIRACICABA

7 CAMPOS DE PIRACICABA PRODUTO CONHECIDO INTERNACIONALMENTE


HISTORIA DO XV DE PIRACICABA
O XV de Novembro foi fundado no ano de 1913, tendo por diversos anos participado do Campeonato Paulista da primeira divisão. Seu título mais expressivo foi o vice-campeonato em 1976. O clube já conquistou vários títulos, dentre os quais se destacam os campeonatos paulistas da segunda divisão de 1947, 1948, 1967, 1983 e também de 2011. O XV conquistou também o Campeonato Brasileiro da Série C de 1995. O seu mascote é o Nhô Quim, criado por Edson Rontani, e retrata o típico torcedor piracicabano descendente de italianos.
NHO QUIM

O Início
A cidade de Piracicaba era conhecida nos anos 1910 como pérola paulista, devido ao nível intelectual avançado de sua população. Nesta época, duas tradicionais famílias piracicabanas, Pousa e Guerrini, comandavam o futebol amador no município. A família Pousa gerenciava o Esporte Clube Vergueirense, enquanto os Guerrini tomavam conta do 12 de Outubro.
Em outubro de 1913, as duas famílias se reuniram e resolveram montar uma única equipe que representasse a cidade. Convidaram então Carlos Wingeter, cirurgião dentista e capitão da Guarda Nacional, para ser o presidente do clube que estava se formando com a fusão das duas famílias.
Wingeter, filho do religioso alemão Jacob Philip Wingerter, aceitou o convite prontamente, mas com apenas uma exigência: o nome do novo time teria que ser XV de Novembro, em homenagem à data marcada pela proclamação da República. Este foi o pontapé inicial para o surgimento do Esporte Clube XV de Novembro de Piracicaba, equipe rapidamente acolhida pela população piracicabana. [2]
CARLOS WINGETER PRIMEIRO PRESIDENTE DO CLUBE 1913-1917

Anos 60 até anos 90
Em 1964, sob o comando de Ripoli, o XV fez uma excursão pela Europa e pela Ásia. Naquela época, o Brasil já era bicampeão mundial e apenas o Santos e o Botafogo faziam esse tipo de viagem. Nessa época, o XV de Piracicaba jogou na Suécia, na Polônia, na Alemanha (Ocidental e Oriental, divisão política da época), na Dinamarca, e nas então repúblicas soviéticas da Rússia, Ucrânia, Moldávia, Cazaquistão e Uzbequistão.
Em 1973, Ripoli voltou à presidência do XV e levou o time à sua maior conquista, o vice-campeonato paulista de 1976, ano em que o Palmeiras foi campeão. Em 1979, o XV foi o 13º colocado do Campeonato Brasileiro de Futebol, a melhor colocação de sua história no torneio. Nesse mesmo campeonato, o XV goleou a grande equipe do Grêmio por 3x0, em Piracicaba[3] . As polêmicas de Ripoli com a Federação Paulista de Futebol mantiveram o time sempre em grande destaque na imprensa, até o falecimento do presidente em 1983.
Em 1980, o XV foi rebaixado no Paulistão de 1980, voltando em 1984. O clube se manteve no Paulistão de 1984 até 1995, último ano em que o XV participou da primeira divisão do futebol paulista até então. Depois desceu para a segunda e posteriormente para a terceira divisão. Jogou a segunda divisão em 1996, 1997, 1998, 1999 e 2000.
Recordes
Mesmo rebaixado em 1995 no Campeonato Paulista e ausente dele por 17 anos, a equipe piracicabana ia muito bem na Série B Brasileirão. Em 1998, por exemplo, o XV obteve sete vitórias consecutivas no início do campeonato. Até hoje, esse é o recorde de vitórias nas rodadas iniciais da segunda divisão nacional.
SIDMAR, DE SORDI, IDIARTE, ELOI ALMEIDA, CHICAO, VADINHO, NARDELLA, PIANELLI, GATAO E PAULINHO

Anos 2000
De 2001 até 2005, jogou a terceira divisão estadual. No ano de 2005, o time subiu para a segunda divisão, porém, devido à fraca campanha na Série A2 de 2006, voltou a ser rebaixado. Disputou a terceira em 2007, 2008, 2009 e em 2010, esse último, em que voltou à Série A2. Mesmo estando nas divisões inferiores do futebol paulista, a média de públicos nos jogos em Piracicaba era grande. Havia jogos em que o público era de 10 mil espectadores, como no jogo entre XV e Olímpia pela terceira fase da A3 de 2007[4]
O XV passou por uma reestruturação na organização e planejamento, ou seja, apostando nas categorias de base, a qual conseguiu pela primeira vez chegar à final da primeira divisão do campeonato paulista Sub-20, em 2007, que teve como campeão a equipe do Santos F.C.
Em 2008, com um mau planejamento, o XV não conseguiu o tão sonhado acesso no campeonato paulista da série A3. Porém, o ano não foi de todo ruim para o time piracicabano, pois, no segundo semestre, o clube chegou à final da Copa Paulista 2008, sendo derrotado apenas pelo Atlético de Sorocaba (no estádio Barão de Serra Negra) por 3x2.
No segundo semestre, embora não tenha conseguindo a vaga na Copa do Brasil 2008, o XV formou uma equipe muito boa e a base desse time foi mantida para a disputa do Campeonato Paulista da Série A3 de 2009. Porém, o time fracassou na fase final da série A3 e não conseguiu o acesso. Já em 2010, o XV disputou novamente a Série A3, terminando a primeira fase em 7º lugar e classificando-se para a fase seguinte. Na segunda fase, conseguiu ficar em segundo lugar no seu grupo e garantiu o acesso à série A2.
No ano de 2011, o XV fez uma excelente campanha e terminou a primeira fase como segundo colocado de seu grupo na Série A2. Na fase seguinte, foi o primeiro colocado de seu grupo e se qualificou para disputar a final do campeonato. Empatou com o Guarani por 2x2 no tempo normal e na prorrogação, venceu nos pênaltis por 4x2. Dessa forma, conquistou seu segundo acesso seguido e voltou a elite paulista depois de 17 anos fora dela.
Em 2012, o ano foi inesquecível para os torcedores do XV. De volta a Série A1, apesar de ficar mais da metade do campeonato na Zona do rebaixamento, se livrando da degola apenas na última rodada, num empate com a equipe do Mogi Mirim Esporte Clube por 2x2, na casa do adversário, permaneceu na elite do Paulistão.[5] No segundo semestre, a equipe disputou a Copa Paulista de Futebol e, após ótimas campanhas nas duas primeiras fases, foi eliminada nas quartas de final.
2013: O Centenário do XV
No dia 15 de novembro de 2013 o XV se tornou mais um clube centenário no Brasil, e a primeira meta do time piracicabano já foi cumprida em 2012: não ser rebaixado e disputar o Campeonato Paulista de Futebol de 2013 - Série A1. Para o Paulistão, a nova diretoria do XV, contratou 21 jogadores e entre eles, os experientes atletas Fabiano, com passagens por São Paulo, Internacional e Santos, e Danilo Sacramento, vice-campeão paulista com o Guarani em 2012.
Outra aposta certeira da diretoria alvinegra, foi a contratação do experiente técnico Sérgio Guedes, que quase livrou o Sport do rebaixamento no Campeonato Brasileiro de 2012. Houve muitas especulações de que o técnico, que estava emprestado ao time pernambucano, não voltaria para comandar o XV no Paulista, mas o treinador honrou sua palavra dada ao presidente Celso Christofolletti e veio para Piracicaba. Com Sérgio no comando, o XV conseguiu se manter na principal divisão do Futebol Paulista.
O selo dos 100 anos do XV de Piracicaba já está pronto e a camisa centenária, produto muito aguardado pelos torcedores, foi divulgada ao público no dia 16 de janeiro, ao vivo no Jornal da EPTV.
Em 2013, o XV encerrou sua participação na 1ª fase do Paulistão na 10ª colocação, com 6 vitórias, 7 empates e 6 derrotas. Marcou 31 gols e sofreu 30. Na Copa Paulista, disputada no segundo semestre, atingiu as semifinais.
TIME DOS SONHOS DO XV DE PIRACICABA

Atualidade
O Xv de Piracicaba disputa atualmente Campeonato Paulista - Série A1 desde a temporada 2014 e a Copa Paulista.

Títulos
Nacionais
              Competição                              Títulos     Temporadas
              Campeonato Brasileiro - Série C           1          1995
Regional
              Competição                              Títulos     Temporadas
              Copa Brasil Central                1               1969
Estaduais
              Competição                              Títulos     Temporadas
Campeonato Paulista do Interior          4               1931, 1932, 1947 e 1948
Campeonato Paulista - Série A2          5               1947, 1948, 1967, 1983 e 2011
              Torneio Início                           1               1949
Outras conquistas
              Competição                              Títulos     Temporadas
              Taça dos Invictos                     1               1967
Jogadores cedidos para a Seleção Brasileira
1º-Neves, em uma oportunidade:
2º-Doriva, em três oportunidades:

Sedes e estádios
Barão de Serra Negra
ESTADIO BARAO DA SERRA NEGRACB

O estádio em que o XV manda seus jogos chama-se Barão de Serra Negra, em Piracicaba, e localiza-se na Rua Silva Jardim, próximo à Rua XV de Novembro, rua essa que dá nome ao time. O estádio tem capacidade para 26.500 pessoas, mas por questões de segurança, a CBF só libera 19 mil lugares.
O jogo de inauguração do Barão, como é popularmente conhecido, foi contra o Palmeiras e terminou com o placar de 0x0.

XV DE PIRACICABA 1943

XV DE PIRACICBA 1944

XV DE PIRACICABA 1947

XV DE PIRACICABA 1947

XV DE PIRACICABA 1947

XV DE PIRACICABA 1948 Ari, Elias, Idiarte, Rensi, Strauss, Cardoso e Adolfinho. Cardeal, De Maria, Sato, Picolino, Gatão, Henrique e Rabeca.

XV DE PIRACICABA 1948 
Cardeal, Rabea, Sato, Picolino, Gatao

XV DE PIRACICABA 1948

XV DE PIRACICABA X RIO CLARO 1948

XV DE PIRACICABA 1950

XV DE PIRACICABA 1951

XV DE PIRACICABA 1956 Orlando, Ismael, Biguá, Cardinalli, Bastos e Dema. Silvio, Nilo, Fifi, Hélio Burini e Nelsinho.

XV DE PIRACICABA 1956

XV DE PIRACICABA 1957

XV DE PIRACICABA 1957 Tico Rensi, Mathias, Pepino, Salvador, Biguá e Geraldo Scotto,  Bertinho, Arlindo, Tito, Gatão e Nelsinho.

XV DE PIRACICABA 1959

XV DE PIRACICABA 1960

XV DE PIRACICABA 1960

XV DE PIRACICABA 1961 fernandes, fernando satiro, orlando maia, bigua, cardinali, dema, silvio, nlo, fifi, celsinho e valdir

XV DE PIRACICABA 1965 Muca, Pescuma, Proti, Virgílio, Neves e Dorival. Nondas, Varlei, Picolé, Benê e Sabino.

XV DE PIRACICABA 1965

XV DE PIRACICABA 1967

XV DE PIRACICABA 1967

XV DE PIRACICABA 1967

XV DE PIRACICABA 1967

XV DE PIRACICABA 1967

XV DE PIRACICABA 1967

XV DE PIRACICABA 1968

XV DE PIRACICABA 1968 pescuma hidalgo claudinei nelson neves dorival nondas nicanor vanderlei norberto lopes beni

XV DE PIRACICABA 1968

XV DE PIRACICABA ANOS 70

XV DE PIRACICABA ANOS 70


XV DE PIRACICABA 1971

XV DE PIRACICABA 1971

XV DE PIRACICABA 1971

XV DE PIRACICABA 1972

XV DE PIRACICABA 1975

XV DE PIRACICABA 1975

XV DE PIRACICABA 1976

XV DE PIRACICABA 1976

XV DE PIRACICABA 1976 VICE CAMPEAO PAULISTA

XV DE PIRACICABA 1976 volmil valdir getulio nene eloi muri almeida fernando paulinho massariol nardela joaozinho paulista capitao pitanga bene valdemar joao paulo

XV DE PIRACICABA 1976

                                                         XV DE PIRACICABA 1977

XV DE PIRACICABA 1977 getulio eloi volmil mica vadinho almeida diretor alcides pitanga perrella muri joao paulo


No hay comentarios:

Publicar un comentario