martes, 27 de diciembre de 2016

SAO BENTO

SAO BENTO DE SOROCABA

Esporte Clube São Bento é uma centenária agremiação esportiva da cidade de Sorocaba, interior do Estado de São Paulo. Possui como cores oficiais o azul, nos tons celeste, royal e marinho, e o branco. É representado pelo pássaro Azulão, como foi conhecido o clube décadas atrás. É uma tradicional equipe que durante os anos 60, 70 e 80 duelou contra os grandes times da capital. Permaneceu durante 29 anos ininterruptos na elite do futebol paulista. Atualmente, o clube disputa a primeira divisão do Campeonato Paulista e o Campeonato Brasileiro de Futebol - Série D. É o clube de futebol mais antigo ainda em atividade em Sorocaba.
Nome                  Esporte Clube São Bento
Alcunhas            Azulão
Bentão
Torcedor/Adepto     são-bentistas
Fundação           14 de setembro de 1913 (102 anos)
Estádio               Estádio Humberto Reale até 1978 e depois Estádio Municipal Walter Ribeiro
Capacidade        13.772 Pessoas
Mando de jogo em   Estádio Municipal Walter Ribeiro

História do Sao Bento
Do Sorocaba Athletic ao profissionalismo
No início do século XX, Sorocaba contava com agremiações esportivas que já se destacavam no futebol, entre eles o Savóia, Sorocabano e o Fortaleza. Foi então na região do Além Ponte, local que concentrava muitas famílias de imigrantes espanhóis, que surgiu em 1905 o Club Athletico Chapeleiros[1] , mantido pela fábrica de chapéus Souza Pereira. Segundo o historiador oficial do clube, Luiz Carlos Gomes, com a extinção do Chapeleiros, vários integrantes do finado clube, juntamente com funcionários da fábrica de arreios Ferreira e Cia, fundaram o Sorocaba Athletic Club no dia 14 de setembro de 1913[2] - considerada data oficial de fundação do clube. O primeiro compromisso do Sorocaba Athletic foi contra o Brasil Foot-Ball Club de Pirajú, atualmente denominado Atlético Brasil do distrito do Éden (rebatizado em 1937), equipe de futebol amadora de Sorocaba. O clube da Rua dos Morros venceu por 3 a 1[3] . Na sequência, venceu o Club Colonial do Votorantim, por 2 a 1.[4] Meses depois, houve um desentendimento entre os sócios e diretores do SAC, culminando na mudança do nome do time para Sport Club São Bento no dia 13 de outubro de 1914[5] - em alusão à Associação Atlética São Bento, time da capital paulista de muito sucesso [6] na época.
Na fase amadora, havia apenas os clubes que pertenciam à Liga Paulistana e a do Interior (os torneios não eram realizados ainda pela atual Federação Paulista de Futebol). Em Sorocaba, grandes confrontos aconteciam no Campeonatos de Futebol Amador Municipal, com participações do Sorocabano, Fortaleza Clube, Savóia, Scarpa, Esporte Clube São Bento, Estrada de Ferro Sorocabana Futebol Clube, entre outros.
Com a recente reforma do Estatuto, em novembro de 2009, "aportuguesou-se" a denominação "Club", sendo que a agremiação passou a ser chamada "Esporte Clube São Bento". Na mesma oportunidade, as cores oficiais foram acrescidas com mais duas tonalidades, quais sejam o Azul Royal e Azul Marinho. Em 2014, o escudo foi alterado, passando a ostentar a versão portuguesa da palavra "Club".
A era profissional
Tem início o profissionalismo do clube em 1953 e o primeiro certame disputado nesta condição foi o Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 1953. O certame contou com 20 clubes participantes, divididos em 3 Séries (Grupos). A "Série 3" era formada por: Corinthians de Santo André, Paulista de Jundiaí, Jabaquara de Santos, Bragantino, São Caetano Esporte Clube, Taubaté e São Bento. O primeiro jogo oficial como profissional ocorreu em Bragança Paulista e o seu placar foi Bragantino 2 a 1 São Bento. O time na época era formado por Peter, Domingos, Moacir, Rau, Falco, Sérgio, Cicarelli, Carrega, Mário, Mané e Bernardi. Em 1962[7] , sagrou-se campeão[8] do Campeonato Paulista da Primeira Divisão, divisão equivalente à atual Série A2 do Campeonato Paulista, subindo, assim, para a Divisão Especial (A1). O título foi decidido contra o América de São José do Rio Preto apenas no terceiro jogo. Depois de dois empates, um em São José do Rio Preto (0 a 0) e outro em Sorocaba (1 a 1), foi realizada uma terceira partida no Estádio Municipal do Pacaembu, em São Paulo. O gol da vitória e do título - que garantiu o acesso à elite - foi marcado por Picolé, aos 12' do 1ºT da prorrogação, fechando o placar em 2 a 1 [9] . para a equipe sorocabana. Era dia 23 de fevereiro de 1963 e o Glorioso Esquadrão Alvi-Celeste, comandado pelo técnico Capão, estava formado por Walter; Julião Odorico e Salvador; Nestor e Paulinho; Raimundinho, Cabralzinho, Picolé, Bazzaninho e Paraná [10] [11] .
No ano seguinte, na sua primeira participação no Campeonato Paulista da Divisão Especial (A1), ficou com a honrosa 4ª colocação (a melhor de todas na elite do futebol paulista), terminando a competição à frente de Corinthians e Portuguesa.
A queda nos anos 1990
Permaneceu por 29 anos ininterruptos na primeira divisão do Campeonato Paulista (A1), até sua queda, em 1991, à divisão intermediária (A2), certame que disputou nos anos de 1992 e 1993. Devido a mudanças no regulamento da Federação Paulista de Futebol em 1994, passou a disputar a Série A3. Já em 1998, foi rebaixado à quarta divisão do Campeonato Paulista. Entretanto, conseguiu reaver a vaga na Série A3 sem ter que disputar o quarto nível de futebol do estado, uma vez que o Novorizontino desistiu de disputar a Série A3 de 1999.
A venda do clube
Após quase jogar a quarta divisão do futebol estadual, a equipe atravessou por momentos muito difíceis. Diversos fatores, como uma série de escândalos envolvendo os diretores do clube, a falta de interesse da prefeitura e o abandono do empresariado de Sorocaba, por exemplo, quase o levaram à extinção.
No final do ano de 1999, o clube foi comprado pelo empresário pernambucano Jailson Dantas, também dono do Unibol.[12] Porém, a venda foi revertida pela Justiça, sob o argumento de que o empresário não tinha pagado uma das três parcelas que totalizariam trezentos mil reais previstos no contrato. O empresário, mesmo após recursos ao Tribunal de Justiça de São Paulo e ao Superior Tribunal de Justiça (Agravo em Recurso Especial nº 267623/SP), restou derrotado.
O retorno às glórias
A virada do milênio marcou uma nova era no Esporte Clube São Bento. Logo no primeiro ano da década, em 2001, conquistou o acesso à Série A2 diante do Jaboticabal Atlético, em Jaboticabal, com uma rodada de antecedência. Encerrou o Campeonato confirmando o título da Série A3, batendo a equipe do União Mogi em Sorocaba diante de sua grande e fanática torcida.
O ano seguinte foi agitado nos bastidores. Isto porque, em 11 de dezembro de 2001, o empresário José Rubens Abramosviz venceu a eleição para a presidência do clube. Porém, um mês e sete dias depois, alegando motivos particulares, solicitou a sua demissão do cargo[13] . Assim, de acordo com o Estatuto do clube, o posto foi assumido interinamente pelo presidente do Conselho Deliberativo, Sílton Luis Gastardelli Vieira. Em maio de 2002, foi montado um colegiado para a administração do clube, formado por Oswaldo Daniel, os advogados David Ferrari Júnior e Cláudio Jesus de Almeida, além do próprio presidente interino[14] . A ideia era que os quatro nomes se alternassem na presidência do clube a cada dois anos, totalizando oito anos de poder do grupo. Este foi o chamado Projeto Oito Anos[15] .
Foi envolto desta situação que o advogado David Ferarri Jr. assumiu a presidência em 19 de julho de 2002[16] . Sob sua administração, além de disputar a Série A2, o clube sorocabano repetiu a boa campanha de 2001 e chegou à decisão da região oeste da Copa Futebol do Interior, atual Copa Paulista de Futebol, no dia 7 de dezembro de 2002. O título foi garantido através do empate por 0 a 0 contra o Jaboticabal, com base na vantagem de pontos conquistada na primeira fase em relação ao adversário.[17]
Porém, em que pese os bons resultados em campo, a vida do São Bento nos bastidores continuava quente. Em agosto de 2002, após uma entrevista na rádio dada pelo presidente David Ferrari Jr., o então membro do colegiado, Sílton Luis Gastardelli Vieira pediu o afastamento das suas funções[18] . Já em outubro, foi a vez de Oswaldo Daniel afastar-se do colegiado, alegando incompatibilidade administrativa [19] . A eleição de dezembro foi marcada pelo embate entre o então presidente David Ferrari Jr. e o agora candidato da oposição Silton Luís Gastardelli Vieira [20] . No fim, o candidato da oposição saiu-se vencedor[21] .
No ano seguinte, em 2003, o advogado David Ferrari Jr. novamente candidatou-se à presidência do clube. Desta vez, bateu o seu concorrente Silton e tornou-se, pela segunda vez, presidente do São Bento. Colaborou para o resultado a contestada administração de Silton Luís Gastardelli Vieira. o advogado David Ferrari Jr. permaneceria na presidência por três anos consecutivos[22] [23] , findando o mandato em 2006[24] , após pedido de renúncia motivado por um forte desgaste com a imprensa e torcida.
Em 2005[25] , ainda sob o comando de Carlos Rabello o São Bento obteve a volta para a principal divisão após uma épica batalha diante do Noroeste de Bauru, conquistando assim o direito de disputar o Campeonato Paulista Série A1 de 2006. Depois de 14 anos afastado da Elite, o Esporte Clube São Bento terminaria a competição do ano seguinte em 11° lugar.

Anos de altos e baixos
Interrompendo a boa fase, em 2007 o clube azul-celeste voltaria a sofrer com o drama do rebaixamento. Atordoado por problemas políticos e disputando a Série A-1 do Campeonato Paulista, o time começou o ano sendo comandado pelo ex-volante da Seleção Colombiana, do Palmeiras, do Corinthians e do Santos, Freddy Rincón e terminou a sua temporada em 11 de abril do mesmo ano, caindo para a série A-2 após uma melancólica derrota de 3 x 0 para o Palmeiras em pleno CIC.
Já no ano de 2008, a equipe voltaria a mostrar sua grandeza e poder de recuperação, disputando até a última rodada a chance de garantir uma vaga à Série A1, mesmo estando desacreditado por muitos. Vale lembrar que no Grupo formado por São Bento, Atlético Sorocaba, Mogi Mirim e Oeste ocorreu o polêmico "Jogo da Marmelada" entre Mogi Mirim e Oeste, no qual se garantiu o acesso a ambos os clubes após um vexatório empate sem gols.
No ano de 2009, a equipe disputou apenas o Campeonato Paulista da Série-A2 fazendo uma temporada bastante regular, terminando em 12º Lugar no torneio daquele ano. O clube passava por uma intensa disputa política que gerou a saída do então presidente do clube, o advogado Davi Ferrari Jr.. Naquele ano assumiu Luiz Augusto Manenti, então presidente do Conselho Deliberativo, que almejava profundas alterações na estrutura do clube. Uma das alterações implementadas foi a homologação de um novo estatuto que ocorreu no dia 10 de novembro de 2009, permitindo maior participação dos sócios na vida política do clube e também a adequação do regimento maior do clube às prerrogativas do novo Código Civil.
Foi em 2010, com uma equipe comandada pelo ex-goleiro e ídolo do clube Abelha, e com patrocínios de entidades bastante importantes da cidade, que o clube aparentou rumar para uma retomada. Porém, apesar de fazer uma campanha regular, acabou não se classificando às finais do Campeonato Paulista da Série A-2. Ainda, não atingiu a segunda fase da Copa Paulista. O fim de 2010 foi marcado pela volta dos problemas financeiros.
Após diversas promessas de parcerias com empresários da região, o Azulão iniciou o Campeonato Paulista da Série A2 de 2011 com derrota para o Guarani de Campinas. Com a soma de resultados negativos, crises de bastidores e saída de patrocinadores, o clube terminou a trágica campanha sendo derrotado, em casa, para o Red Bull, amargando a sua queda à Série A3 de 2012, a segunda de sua história. Disputou, ainda, a Copa Paulista sob o comando de Claudinho Anacleto, utilizando essencialmente atletas da categoria sub-20. O São Bento foi eliminado na primeira fase e ficou na 28ª colocação na competição.
O recomeço (2012-atualidade)
Em 2012 a equipe passou por uma reformulação em sua diretoria, conduzida pelo presidente Fernando Martins da Costa Neto. Entre muitas características, aponta-se que esta foi a primeira Diretoria Executiva eleita pelo novo estatuto do clube. Procurou-se dar aos sócios maior participação na vida política e administrativa do clube, através da possibilidade de pleito dos cargos de "diretores executivos", "conselheiro deliberativo" e "conselheiro fiscal". No primeiro ano de gestão, o presidente Fernando Martins encontrou substanciais dificuldades financeiras e curto prazo de tempo para efetuar um planejamento administrativo. Entretanto, o clube obteve resultados satisfatórios, atingindo o nono lugar na classificação geral do A3 2012. Na Copa Paulista do mesmo ano, sob o comando do técnico Edson Vieira, a equipe começou a montar o time que disputou a A3 2013.
A preparação iniciou-se em outubro de 2012 e, até o início do Campeonato, o São Bento seguiu invicto em todos os amistosos que disputou (foram sete vitórias e um empate), rendendo grande expectativa em relação ao desempenho da equipe para a temporada 2013. A primeira partida do Paulista A3 2013 foi contra o Joseense em São José dos Campos. Na oportunidade, o azulão sorocabano perdeu por 3 a 2. Apesar do revés no início do torneio, a equipe retomou ao caminho das vitórias e terminou a primeira fase com a melhor campanha de todo o campeonato [26] . Já na segunda fase, em um grupo formado pelo próprio time sorocabano, Itapirense, Sertãozinho e Inter de Limeira, o São Bento, apesar de liderar toda a fase final do certame, apenas conseguiu seu acesso com um gol aos 46 minutos do segundo tempo, em um empate antológico diante da equipe do Sertãozinho. Com o resultado, a equipe sorocabana garantiu o acesso ao Campeonato Paulista de Futebol de 2014 - Série A2 e ainda a possibilidade de disputar a final da Série A3 2013, realizada em dois jogos, diante do Batatais. A primeira final foi realizada em Batatais, com o Azulão saindo vencedor pelo placar de 3 a 1. Na segunda final, disputada em pleno Walter Ribeiro, o São Bento assegurou o empate em 1 a 1 e sagrou-se Campeão Paulista da Série A3 2013, época em que completava 100 anos [27] de existência.
No segundo semestre de 2013 o clube disputou a Copa Paulista, mantendo parte da equipe campeã da Série A3 - inclusive com a manutenção do técnico Edson Vieira. Na primeira fase, disputada em grupos, o Esporte Clube São Bento classificou-se em segundo lugar, atrás apenas do Ituano (que em 2014 se consagraria campeão Paulista da 1ª Divisão) [28] e à frente de equipes com grande potencial financeiro, tais como Grêmio Osasco (4º) e Redbull Brasil (6º). Na segunda fase classificaram as quatro melhores equipes de cada grupo. O São Bento classificou-se no Grupo 6, juntamente com São Caetano, Inter de Limeira e Monte Azul. Com uma campanha bastante regular nesta fase (duas vitórias, dois empates e duas derrotas), o Azulão Sorocabano encerrou sua participação na a Copa Paulista na terceira colocação deste grupo, com um empate em 1 a 1 frente ao São Caetano [29] . A partir de então, a equipe iniciou os trabalhos de montagem do time que disputaria a Série A2 de 2014. A primeira, e talvez mais considerável, mudança foi a troca do técnico Edson Vieira [30] pelo também consagrado técnico Paulo Roberto Santos. Paulo Roberto possui um vasto currículo de acessos da Série A2 para a Série A1, inclusive com o arqui-rival beneditino, Clube Atlético Sorocaba. Com vários jogadores novos e de confiança de Paulo Roberto, a preparação foi iniciada no final de 2013. O Esporte Clube São Bento encerrou o ano de seu centenário com expressivos resultados:
A partir de novembro de 2014, o clube iniciou a montagem da equipe que disputou o Campeonato Paulista de Futebol - 2015, novamente sob o comando do experiente treinador Paulo Roberto Santos. A equipe realizou 15 jogos, obtendo 4 vitórias, 9 empates - é o recordista deste resultado na história do Campeonato Paulista[45] - e apenas duas derrotas, para os dois dos maiores clubes do estado (Palmeiras e São Paulo). O time encerrou o campeonato na 10ª colocação (9ª por pontos, porém a equipe do XV de Piracicaba classificou-se para a segunda fase do campeonato). Em maio de 2015 houve eleições para a definição da nova Diretoria Executiva, sendo reeleito [46] por aclamação[47] o Presidente Fernando Martins da Costa Neto até outubro de 2017. A chapa também elegeu Márcio Rogério Dias, vice-presidente, Almir Laurindo, secretário-geral, Agacyr Maister, tesoureiro, Sérgio Augusto Garcia, diretor de patrimônio, Wilson Vieira, diretor de futebol profissional e Marcelo Anderson Coelho, diretor de esportes amadores.
No fim do mesmo ano de 2015, sob a tutela do técnico Paulo Roberto Santos, foi montado o plantel que viria disputar o Campeonato Paulista - 2016 com jogadores experientes e com pelo menos três meses de preparação. A pré-temporada já dava sinais de que o time seria bastante competitivo. Para o ano de 2016, a Federação Paulista de Futebol mudou o regulamento dos campeonatos, para que os torneios seguintes fossem disputados por 16 equipes e não mais por 20; em consequência, seriam rebaixadas seis times. Observando essa questão, o time apresentou quatro objetivos a serem alcançados: não ser rebaixado, classificar-se para a segunda fase do campeonato, classificar-se para o Campeonato Brasileiro de Futebol de 2016 - Série D e ser campeão, respectivamente. Contudo, a campanha foi surpreendente, atingindo os três primeiros objetivos galgados e encerrando na quinta colocação geral, sendo eliminado pelo Santos nas quartas-de-final, em jogo único disputado na Vila Belmiro. Para o segundo semestre, o clube se organiza para disputar o Campeonato Brasileiro de Futebol do quarto nível.
Clube
Símbolos
O Esporte Clube São Bento foi fundado em 1913 com o nome de Sorocaba Athletic Club. Atualmente, existem poucos registros sobre o SAC e em nenhum deles é citado as cores de uniforme usados. Acredita-se, por especulação, que a roupagem possuía tons de vermelho e branco, conforme as cores usadas pelo Sport Club Sorocabano. Com pouco mais de um ano de sua fundação, o SAC mudou seu nome para Sport Club São Bento e passou a adotar as cores azul e branco como oficiais. Tanto o nome quanto as cores fazem alusão à extinta Associação Atlética São Bento, time da capital Paulista que vivia, naquela época, seu auge (foi campeã paulista de 1914, ano de sua fundação). No início do século XX os clubes não possuíam escudos e nem a camisa dos atletas eram identificadas com números. Somente mais tarde surgiram os escudos que, ao longo do tempo, deram origem à representação visual atual.
Mascote
O TIRA-PROSA

O Tira-Prosa, um pássaro azulão, é o mascote oficial do Esporte Clube São Bento. Sua denominação remete àquele que é valentão. No apogeu do cartonismo de mascotes de clubes de futebol, na década de 1980, o Tira-Prosa já era associado à equipe beneditina. No ano de 2013, a Diretoria do clube criou o mascote que anima todos os jogos em Sorocaba.
Escudos
O primeiro distintivo do Esporte Clube São Bento surgiu em meados da década de 1920[48] . Antes disso, os uniformes do clube não carregavam escudo ou número nas costas, pratica bastante comum à época. A primeira versão do escudo consistia em um brasão azul, com as iniciais "ECSB" dentro de um círculo branco. Na década seguinte, o desenho do brasão foi reformulado, tendo permanecido o círculo branco com as iniciais da agremiação, sendo modificada pontualmente por outras duas versões. Quando da profissionalização, na década de 50, as letras, que antes estavam separadas, se juntam para formar o desenho conhecido atualmente. Ato contínuo, veio a inscrição com o nome do clube e da cidade de Sorocaba. Vale dizer que a primeira versão do atual formato tinha as cores invertidas: fundo azul e letras brancas. Foi apenas na década de 1980 que o distintivo tomou a forma que hoje conhecemos, com o escudo constituído por dois círculos concêntricos de tamanhos diferentes, entre os círculos a inscrição com o nome "Esporte Club S. Bento", na parte inferior central o nome da cidade Sorocaba e no centro dos círculos, em logotipo, as iniciais ECSB. No ano de 2014, através de deliberação da Assembleia Geral, convencionou-se alterar alguns detalhes do escudo oficial: 1) O antigo "Club", última remanescência da grafia original do Azulão, deu lugar ao aportuguesado "Clube"; 2) A fonte usada em "Esporte Clube São Bento" e "Sorocaba" está maior, fazendo com que as palavras avancem um pouco mais em direção à borda; 3) Alteração do monograma (agora, o "E" abraça o "C", que por sua vez deita abaixo do "S", que leva consigo na parte de baixo a segunda bolinha do "B"); 4) O "São" não está mais abreviado com um mero "S."
Bandeiras
As bandeiras deverão ser elaboradas na cor azul e branca, tendo o símbolo do clube na parte central, sendo os círculos e letras na mesma cor azul e tamanhos e proporções ao das bandeiras oficiais. O fundo deverá ser feito com três faixas horizontais: as de cima e de baixo na cor azul e a do meio na cor branca.
Hino
Segundo o art. 75, § 5º do Estatuto Oficial do Clube, o hino oficial é aquele composto por Ulderico Amêndola.
Uniformes
Conforme o artigo 75 do estatuto em vigência do Esporte Clube São Bento, as cores do clube são o azul, em seus tons “royal”, marinho e/ou celeste, e o branco. Ao longo do tempo, o clube teve uma série de uniformes, com diferentes tonalidades de azul. Em 2013, por ocasião do seu aniversário de 100 anos, o clube utilizou as cores azul e dourado, para o uniforme principal, branco e dourado para o segundo uniforme e laranja e dourado, para o terceiro uniforme. Este último era uma alusão ao Sorocaba Athletic Club, que acredita-se usava as cores vermelho e branco; porém, adotadas as cores laranja para não haver similaridade de camisas com seu rival, o Atlético Sorocaba[50] .
  • 1º - Camisa azul, calções e meias azuis.
  • 2º - Camisa branca, calções e meias brancas.
3º - Camisa azul marinho, calções e meias ciano[51] [52] .
ESTADIO : O São Bento manda os seus jogos atualmente no Estádio Municipal Walter Ribeiro, o popular CIC (Centro de Integração Comunitária). O estádio municipal foi inaugurado com a intenção aposentar o então estádio da cidade, Estádio Humberto Reale, original sede e lar sãobentista, mas que atualmente encontra-se em um processo de remodelação para um centro de treinamentos e alojamento. A obra foi conduzida em parte pela Associação "Vamos Subir, Bento!", uma associação de torcedores que visa resgatar o patrimônio histórico material e imaterial do clube.
O antigo Estádio Humberto Reale sofria pelo abandono causado por más administrações e dívidas acumuladas. Já foi palco de grandes partidas, tendo como fato marcante a presença de Pelé em um dos embates entre a equipe do Santos Futebol Clube, então campeão mundial, e o Esporte Clube São Bento. Vale ressaltar que nesta oportunidade a equipe sorocabana sairia vitoriosa do jogo, pelo placar de 3 a 2.[60]
O Azulão Sorocabano já mandou seus jogos em outros campos, tais como o Velódromo de Sorocaba, Castellões Parque (ambos extintos) e no Campo do Savóia, todos na era amadora.
ESTADIO MUNICIPAL DE SOROCABA


Personalidade de destaque
Alguns dos principais personagens que ajudaram a fazer a história do Esporte Clube São Bento.[81] [82]

Goleiros
Abelha                      
Oberdan Cattani       
Geninho                   
Chicão                      
Walter                      
Zecão                       






Defensores
Luís Pereira            
Marinho Peres       
Ney Roz                
Guinei                    
Chirú                      
Picuíra                    
Lúcio                     
Maurinho               
Julião[83]                
Jurandir                  
Odair Patriarca       
Rubens Minelli      











Meio-campistas
Paraná                    
Nestor                    
Gatãozinho            
Copeu                    
Cacau                     
Zenon                    
Afonsinho              
Cabralzinho            
Bozó                      
Corrêa                     
Cremilson              
Tales                      
Bazaninho              
Rodrigo Tabata      
Magal                     
Bauer                     














Atacantes
Picolé                           
Mickey                         
Luisinho Costa            
Gilsinho                       
Nenê                            
Elias                             
Tupãzinho                    
Luís Müller                   
Antonio M. Araujo      
Adhemar                      











Títulos
A primeira de todas as conquista do São Bento foi a Taça Pierrot[88] em cima do XV de Piracicaba. A partida foi disputada no dia 23 de setembro de 1917 no antigo estádio Castellões Parque, às 14h[89] . Com a vitória de 1 a 0 sobre o adversário piracicabano, o azulão sorocabano sagrou-se campeão da disputa[90] . O clube ainda conserva esta taça, considerada pelos torcedores a Moedinha número um[91] . Recentemente esta taça foi restaurada pela Associação Vamos Subir, Bento![92] .
Futebol profissional
Estaduais
                   Competição                                          Títulos        Temporadas
                   Campeonato Paulista do Interior      3                  1963[93] , 1965[94] e 1966[95]
                   Taça Estado de São Paulo                  1                  1985[96] [97]
                   Copa Futebol do Interior                    1                  2002[98]
                   Campeonato Paulista - Primeira Divisão             1  1962[99]
                   Campeonato Paulista - Série A3        2                  2001[100] , 2013 [101]

O Esporte Clube São Bento possui ainda três
[102] vice Campeonatos Paulistas do Interior em:
O ATOR PAULO BETTI TORCEDOR DO SAO BENTO

Jogos em destaque

·         Ainda na fase amadora, o São Bento viveu um grande momento na sua história quando empatou, em 2 a 2, com o Nacional de Montevidéu (campeão uruguaio), em Sorocaba, no ano de 1953 [117] . A equipe uruguaia contava com alguns jogadores que conquistaram o Bicampeonato Mundial de 1950 em pleno Maracanã[60] . Ao longo da história, destaca-se a vitória diante da Seleção Brasileira de Novos, em Sorocaba, por 2 a 0, e também a goleada infligida ao Bragantino por 9 a 2, em 14 de abril de 2002, no Estádio Walter Ribeiro. O Azulão disputou ainda o Campeonato Brasileiro da Primeira Divisão de 1979, tendo ficado em 15° lugar, entre os 94 clubes que participaram daquela edição, considerada até aqui o maior campeonato de futebol do mundo. Também disputou, a nível nacional, a Taça de Prata de 1981[121] e 1983[122] . Seu último compromisso em brasileiros ocorreu em 1992, quando o São Bento disputou o Campeonato Brasileiro da Série B[123] , a Terceira Divisão (atual Série C).

·         Chico Bento é Azulão

·         Maurício de Sousa publicou na década de 80 na Revista Placar os times que cada integrante da Turma da Mônica torciam e nesta publicação Chico Bento aparece trajado com o uniforme do azulão sorocabano.[124] [125]

·         A "quase" fusão entre São Bento e Atlético Sorocaba

·         No início do ano de 1993, o presidente Edgard Moura, em vias de deixar o cargo, convidou o então presidente e fundador do Clube Atlético Sorocaba, João Caracante Filho[126] para o sucedê-lo na presidência do azulão sorocabano. Durante muito tempo, o estatuto do São Bento permitia que membros não associados se tornassem presidentes do clube, sendo que, normalmente para este cargo, eram convidados empresários de destaque da cidade. O Atlético vinha se consolidando através de sua equipe de basquete feminino, herança deixada pela equipe da Minercal (fundada por Benedito Pagliato, ex-presidente do time beneditino). Na mesma época, havia sido criada a equipe de futebol do Clube Atlético Sorocaba que disputava a Segunda Divisão do Campeonato Paulista (atual B-1). Caracante nunca havia escondido seu desejo de prosseguir com os trabalhos junto ao Atlético e que, por conta disso, numa eventual fusão, o nome e as cores do auri-rubro sorocabano seriam mantidos. Em um processo conturbado, com várias oposições de torcedores e membros do conselho do clube beneditino, nenhuma chapa contrária se cadastrava para competir com o nome de Caracante no poder. Em que pese vários nomes se projetarem à presidência nos bastidores do clube - tais como o do comerciante José Lanaro (também conhecido como Zezo), nenhuma chapa havia inscrita para a eleição. Tendo em vista a posição contrária de muitos membros e torcedores do clube'[127] , Caracante automaticamente se esquivou da disputa, alegando ser contrário a pleitear o cargo caso não houvesse consenso. A única chapa inscrita para esta eleição foi a de Sidnei Momesso[128] , que acabou por vencer a disputa por aclamação no dia 15 de fevereiro de 1993, pondo fim a qualquer possibilidade de fusão entre os times. Curiosamente, Momesso era presidente da Sociedade Recreativa São Bento e tentou fundir as duas agremiações, sem sucesso.

·         Pelé quase foi do Azulão

·         Em 1956, o Esporte Clube São Bento vendeu ao Santos Futebol Clube um de seus atletas mais destacados: João Batista Carlos Dias, mais conhecido como Fiote. Nesta transação, o azulão sorocabano foi até Santos a fim de escolher alguns atletas que estavam na reserva em troca. O representante do clube sorocabano, Sr. Flávio Guariglia, conta que o próprio técnico Lula o recebeu no gramado e pediu para escolher qualquer jogador que estava no banco. Guariglia, por sua vez, escolheu Raimundinho, que mais tarde brilhou com seu futebol vestindo a camisa alvi-celeste (sendo artilheiro do Campeonato Paulista da Segunda Divisão em 1957, com 24 gols e mais tarde fez parte do esquadrão de ouro de 1962 que conseguiu o acesso à elite do futebol Paulista); e logo ao lado de Raimundinho estava Pelé. Evidentemente que naquela época Guariglia nem imaginava que aquele menino franzino se tornaria O Rei do Futebol e o Atleta do Século XX. Juntamente com Raimundinho, o São Bento trouxe do time da baixada os jogadores Waldir e Zezinho.[129]
FIGURINHAS DO SAO BENTO

Um torcedor mais do que especial

·         O Doutor Osmar de Oliveira nunca escondeu sua paixão pelo Corinthians, mas pouca gente sabe que ele também tinha um carinho muito grande pelo Bentão. No início de sua carreira profissional, foi médico do time nos anos 70, antes de seguir como locutor esportivo. Doutor Osmar faleceu em 12 de junho de 2014.

·         Do Azulão para a Seleção


·         Alguns atletas do azulão sorocabano, ao longo de sua história, chegaram a defender a Seleção Brasileira. Os mais notórios são Marinho Peres, Luís Pereira, Paraná e Bauer (futebolista), entre outros. Recentemente, o volante Floriano do São Bento foi convocado pela Seleção da Guiné Equatorial à disputa das Eliminatórias Africanas da Copa do Mundo 2014.[130]

SAO BENTO 1914

SAO BENTO 1940 COM OBERDAN

SAO BENTO 1951

SAO BENTO 1956

SAO BENTO X PORTUGUESA EM 1957

SAO BENTO 1959

SAO BENTO 1959

SAO BENTO 1961

SAO BENTO 1962

SAO BENTO 1963 


SAO BENTO 1963

SAO BENTO 1964 juliao gibe walter salvador nei joao carlos raimundinho copeu ubirajara chagas goncalves parana

SAO BENTO 1965  Nestor, Chicão, Gibe, Salvador, Nei e João Carlos.  Raimundinho, Copeu, Oswaldo, Gonçalves e Paraná.

SAO BENTO 1969

SAO BENTO 1969

SAO BENTO 1971

                                                      SAO BENTO 1972

SAO BENTO 1972 


SAO BENTO 1974 Chirú, Clodoaldo, Édson, Luís Antônio, Nelsinho e Ney Roz.  Babá, Sérgio Pinheiro, Davi, Tales e Bozó.

SAO BENTO X JUVENTUS EM 1975

SAO BENTO 1977

SAO BENTO 1977 Tutu, João Marcos, Batata, Toninho Oliveira, Arlindo Nilo, Serelepe.  Altimar, Adãozinho, Tuim, Gatãozinho, Sérgio Ramos.

SAO BENTO 1978

SAO BENTO 1978

                                                                      SAO BENTO 1978

SAO BENTO 1979

SAO BENTO 1979

SAO BENTO 1980

SAO BENTO 1982 arlindo nilo batata paulinho ubirajara fernando tutu pitanga lance luizinho gataozinho carlinhos

SAO BENTO 1983

SAO BENTO 1983

SAO BENTO 1984

SAO BENTO 1985

SAO BENTO 1985 


SAO BENTO 1986

SAO BENTO 1986

SAO BENTO 1988

SAO BENTO 1988

SAO BENTO 1988 ennius, marcio volador, donizetti, guinei, hilton, paulo robson, andrade, carlyle, orlando, liminha, mazinho oliveira, carlos silva, jefferson, claudio veneno

SAO BENTO 1988

SAO BENTO 1990

SAO BENTO 2001

SAO BENTO 2012

SAO BENTO 2013

SAO BENTO 2014

SAO BENTO 2015

SAO BENTO 2015

SAO BENTO 2016

SAO BENTO 2016

EDNO

GATAOZINHO 1978

LANCE EM 1978

MARINHO PERES

MENDONCA

PARANÁ

PITANGA EM 1978

No hay comentarios:

Publicar un comentario