miércoles, 28 de diciembre de 2016

AMÉRICA DE NATAL * PARTE 1

AMÉRICA DE NATAL * PARTE 1

América Futebol Clube é um clube polidesportivo da cidade de Natal, no Estado brasileiro do Rio Grande do Norte e popularmente chamado de Mecão.
Fundado em 14 de julho de 1915 na residência do juiz Joaquim Homem de Siqueira, na Cidade Alta, tem como modalidade esportiva principal o futebol. Na época que os clubes surgiam no Brasil era comum se adotar o nome do território qual o clube pertencia, seja ele o nome do bairro, cidade, estado, país ou continente como foi o caso do América que recebeu esse nome em homenagem ao continente americano ao qual pertence. Atualmente, além do futebol, o clube trabalha com o futsal, basquete paraolímpico e futebol americano, nesses dois últimos esportes recebendo o nome de América Tigres e América Bulls, respectivamente. As cores do clube, presentes no escudo e na bandeira oficial, são vermelho e branco. Suas cores iniciais eram azul e branco. Hoje, sua sede social se localiza no Tirol e o centro de treinamento, em Parnamirim.
Seu título mais relevante é a Copa do Nordeste de 1998. Dos clubes potiguares, é o com mais participações na Série A do Campeonato Brasileiro, destaca-se por ter sido o primeiro vencedor estadual em 1919,[1] ser o único do Rio Grande do Norte a participar de uma competição internacional: a extinta Copa Conmebol[2] e ser o único clube a participar de todas as edições da Copa do Nordeste.[3]
No Futsal, o América de Natal é vice-campeão brasileiro (Taça Brasil de Futsal), tricampeão do Nordeste e o maior vencedor do RN, 38 estaduais e metropolitanos. No basquete, em 2013, o clube conquistou o tricampeonato do Nordeste e garantiu o 3º lugar no Campeonato Brasileiro. Em 2014, o time de basquete alcançou as semifinais do Brasileirão. No futebol americano, a equipe foi campeã do Nordeste em 2009 com uma campanha invicta, atualmente o clube foi vice-campeão da Divisão Nordeste no Campeonato Brasileiro.
Nome                 América Futebol Clube (Rio Grande do Norte)
Alcunhas           Mecão
Dragão
Orgulho do RN
Alvirrubro
Torcedor/Adepto     Americano
Mascote             Dragão
Fundação          14 de julho de 1915 (100 anos)
Estádio              Arena das Dunas
Arena América (em construção)
Capacidade       31 375 pessoas
25 000 pessoas
Localização       Natal

HISTORIA DO AMÉRICA DE NATAL

A Fundação

Por um grupo de 34 jovens estudantes, comerciários e funcionário públicos, o América de Natal foi fundado em 14 de julho de 1915, uma quarta-feira, na residência do juiz Joaquim Homem de Siqueira, situada na Rua Vigário Bartolomeu. Inicialmente, as cores do time eram o azul e o branco, transformando-se nas cores atuais em 1918, com a personificação jurídica do clube.
A oficialização jurídica do clube tem uma história curiosa. Sobre isto, existe uma versão que diz que o então Coronel Júlio Canavarro de Negreiros Melo, no dia 3 de junho de 1918, furou a única bola que o clube tinha para treinar e jogar, tendo sido o América obrigado a possuir personalidade jurídica para poder entrar com uma ação indenizatória. Para tanto, os estatutos foram registrados pela primeira vez no dia 3 de julho de 1918, no Primeiro Ofício de Notas, em documento assinado pelo então presidente Oswaldo da Costa Pereira.
Os jogadores do América eram provenientes da Cidade Alta. Nos seus primeiros sete anos de existência, os recursos financeiros do clube vinham em grande parte do bolso de Aguinaldo Tinôco, um dos seus fundadores e que também era zagueiro e capitão do time.

A primeira partida

A primeira partida realizada pela nova equipe de natal ocorreu no dia 26/09/1915, contra a equipe que seria posteriormente seu maior rival, o ABC. A partida se deu na Praça Pedro Velho, em um campo improvisado, e a equipe alvinegra derrotou os rubros pelo placar de 4 a 1. Gols de Mousinho (2), Mandu e Babua para o ABC, enquanto que Neco descontou para o América. Nessa partida, o América de Natal atuou com: Oscar Siqueira, Lélio e Gato, Carvalho, Gallo e Barros, Antônio, Carlos Siqueira, Neco, Garcia e Pipiu.
Já primeira partida oficial foi realizada entre ABC e América de Natal ocorreu em 15 de Setembro de 1918 pelo campeonato estadual de 1918, que não foi finalizado. O América venceu a partida pelo placar de 3 a 0, com gols de Arnaldo, Pinheiro(contra) e Nilo Murtinho Braga.

Os primeiros campeonatos potiguares e seus primeiros títulos

O primeiro título americano veio em 1919. Foi o segundo campeonato de futebol promovido pela Liga de Desportos Terrestres no estado, primeiro a ser concluído. Em 1920, conseguiu seu primeiro bicampeonato. Dois anos mais tarde, o clube conquistou seu terceiro troféu, ao ganhar o campeonato daquele ano que foi intitulado Taça da Independência em 1922, em homenagem ao centenário da Independência. Na final, João Maria Furtado, conhecido como "De Maria" fez o único gol da partida frente aos eternos rivais americanos, o ABC. O América voltou a ganhar um título estadual apenas em 1924, e em 1926 abriu o caminho para o segundo bicampeonato da competição. Após o terceiro bicampeonato de 1930-1931, o América amargou 15 anos sem vitórias locais, voltando a ser campeão só em 1946. A equipe alvirrubra repetiu o bom desempenho em competições estaduais, conquistando o bicampeonato em mais três ocasiões: 1948/1949, 1951/1952, sendo campeão neste ano com 100% de aproveitamento[4] , 1956/1957. O destaque dessa época foi o atacante Saquinho, tido como maior centroavante que já vestiu a camisa alvirrubra potiguar.
Após um largo período licenciado da Federação (de 1959 a 1966) para construção de sua Sede Social, o América voltou a ser campeão em 1967, contando com um time bastante caseiro, mas com jogadores de destaque como Véscio e Evaldo "Pancinha". Nesse ano, a final foi contra o Riachuelo, do então jovem Marinho Chagas. Essa vitória propiciou a participação do América na Taça Brasil de 1968. Em 1969 foi campeão estadual após uma série de jogos finais contra seu principal rival, na qual perdeu o primeiro jogo por 3 x 0, empatou o segundo por 0 x 0 e precisava de uma vitória no último jogo para forçar uma quarta partida. Ela veio a partir dos pés do atacante Alemão, que marcou nos últimos minutos do jogo, quando a torcida alvinegra já comemorava o título. Na quarta partida, o Alvirrubro venceu por 2 x 0 seu principal rival, com gols de Bagadão e Alemão, e se sagrou campeão do Estado.

"O Orgulho Potiguar"

Nos anos 1970 a equipe natalense marcou presença em campeonatos brasileiros. Em 1973 ficou em 25º lugar, dentre os 40 times que disputavam a competição. O time base era: Ubirajara; Ivan Silva, Scala, Mário Braga e Cosme; Paúra, Garcia e Hélcio Jacaré; Almir, Santa Cruz e Gilson Porto. Técnico: Sebastião Leônidas.
Destaque para Hélcio Jacaré, tido como um dos maiores ídolos do América, Scala, ex-seleção e Ivan Silva, recordista de partidas pelo América: 476 jogos. A melhor participação do América nos antigos campeonatos nacionais foi em 1977, quando conseguiu um 17º lugar entre 62 clubes. O América participou de 11 competições seguidas(de 1973 a 1983). A partir daí, o América passou a ser conhecido como Orgulho do RN. Em 1979, o clube iniciou a sua maior série de vitórias no campeonato estadual, sendo tetracampeão de 1979 a 1982, ficando 2 anos e vários jogos sem perder para nenhuma equipe do Rio Grande do Norte. Além disso, o América foi bicampeão em 1974/1975, campeão em 1977, na famosa final que não acabou, quando os 22 jogadores se envolveram numa briga sem precedentes, e tricampeão em 1987/1988/1989.

O vice-campeonato na Série B

O América voltou a ser notícia no cenário do futebol brasileiro, nos anos 1990. Em 1996, Liderado pelo habilidoso meia Moura, a equipe do Rio Grande do Norte conquistou o vice-campeonato nacional da segunda divisão, estando no ano seguinte de volta à Série A depois de 13 anos. A equipe potiguar venceu a Copa do Nordeste de 1998, derrotando o Vitória na final por 3 a 1, gols de Kobayashi, Biro Biro e Carioca. Apesar de o Estádio Machadão estar com uma parte de suas arquibancadas interditada, a torcida rubra lotou o estádio, com um público de 23.412 pagantes, e empurrou o América para mais um título, que lhe deu direito à participação numa competição internacional, a extinta Copa Conmebol de 1998, hoje Copa Sul-Americana. O América entrou em campo naquela noite chuvosa de 4 de junho com a seguinte escalação: Gabriel; Gilson, Paulo Roberto, Lima e Rogerinho; Montanha, Carioca, Moura e Biro Biro; Kobayashi e Leonardo. Técnico: Arturzinho.

Da C para A em apenas dois anos: 2005 e 2006

Em 2004 houve o amargo rebaixamento à Série C. Após conseguir o acesso para a Série B em 2005, sendo vice-campeão do Série C, o América fez uma grande campanha em 2006, liderados pelo maior ídolo da história, o maestro Souza, craque "nascido" no América, que retornou ao seu clube do coração após passagens pelos principais clubes do Brasil, e ficou em quarto lugar, posição que o garantiu no Campeonato Brasileiro de 2007.
SEDE DO AMÉRICA DE NATAL


Utilidade Pública

Em 9 de dezembro de 2005 pela lei municipal n.º 5.697 foi criado o Dia do América Futebol Clube. A data comemorativa no calendário da cidade homenageia a fundação do clube, sendo comemorada no mesmo dia 14 de julho.[5] No dia 3 de outubro de 2003, foi publicado no Diário Oficial de Município a Lei n.° 5.493, de autoria do vereador Hermano Morais, reconhecendo o América Futebol Clube, como de Utilidade Pública Municipal.

A crise dos 4 anos: 2007 a 2010

Em 2006, o clube conseguiu o acesso para a série principal do Campeonato Brasileiro, encerrando sua participação na Série B (2006) em 4.º colocado, sendo seu último jogo contra o Atlético Mineiro, no estádio Mineirão, com o placar final de 2x2. Além disso a partida foi transmitida pela Rede Globo para todo o país. No confronto em questão, foi registrado o maior público do campeonato, 74.694 espectadores, a equipe que atuou nessa partida foi: Fabiano; Eduardo Arroz, Roni (Leandro Sena, que em 2013 viria a comandar a equipe na Série B do campeonato brasileiro) e Robson; Adriano Peixe, Fernando Lombardi, Magal, Paulinho Kobayashi (Max) e Souza; Paulo Isidoro e Du. Técnico: Heriberto da Cunha.
Foi em 2007 que a crise se instalou no time potiguar. Perdeu o título estadual para o ABC, com o placar de 5 a 2 no último jogo da final. Em 12 de maio de 2007, o América fez sua estreia na Série A diante do Vasco da Gama, na reinauguração do Estádio Machadão, que fora reformado para atender às previsões de grande público. O América foi batido pelo time da cruz de malta pelo placar de 1 x 0, com gol de André Dias, aos 20 minutos do 2º tempo, mas em compensação a torcida se fez presente no estádio e marcou o maior público da rodada, 26.469 pessoas. Na segunda partida, o alvirrubro foi até Santos enfrentar o Peixe, era de se esperar uma vitória da equipe santista, porém o América de Natal conseguiu um triunfo em plena Vila Belmiro, vencendo o Santos pelo placar de 3x2, com 3 gols marcados por um só jogador, o zagueiro Édson Borges, ainda levando em conta que o time americano jogava com 1 a menos devido a expulsão de Geovane no decorrer da partida.
Mas depois o América amargou 7 jogos sem vencer (6 derrotas e 1 empate), voltando a marcar 3 pontos só em 6 de julho, em Curitiba contra o Paraná, pelo placar de 1x0. Em seguida perdeu para o Internacional e para o Atlético-MG, venceu o Atlético Paranaense e não pontuou mais até o final do 1º turno.
Os 3 primeiros pontos do 2.º turno só vieram contra o Paraná, na 9ª rodada. Mesmo com a péssima campanha no campeonato, o time rubro obteve uma média de público de 9.730 por jogo, ficando na frente de Figueirense, Paraná, Santos e Juventude. Ao final do campeonato o América de Natal foi rebaixado para a Série B com a pior pontuação da série A em todos os tempos, somando apenas 17 pontos, pior campanha registrada até hoje de algum clube no Campeonato Brasileiro.
Em 2008 o clube potiguar disputou a Série B, por onde passou por mais um aperto, porém bastante menor do que o de 2007. O clube terminou em 15º com 46 pontos ganhos, se livrando do rebaixamento nas últimas rodadas.
No ano de 2009, no mesmo campeonato, se livrou mais uma vez do rebaixamento com uma diferença de 2 pontos em relação ao 1º rebaixado Juventude. O jogador Lúcio Curió, atacante do América de Natal, foi vice-artilheiro do campeonato, com 15 gols marcados, 2 a menos que o artilheiro.
Já em 2010, depois de 2 anos tentando fugir do rebaixamento, o time acabou sendo rebaixado para a terceira divisão.
No ano seguinte o América disputara a Série C e classificara em 4º colocado, batendo o Paysandu, assim não passou sequer 1 ano na Série C e tendo seu retorno à 2ª divisão do Campeonato Brasileiro.

Campeonato Potiguar de 2012: Fim do jejum

Na estreia do Campeonato Potiguar de Futebol de 2012, o time alvirrubro teve como adversário o Caicó. O jogo ocorreu no Nazarenão com um show do América de Natal, uma goleada de 5x0, gols marcados por Júnior Xuxa (três vezes), Zé Antônio e Isac. Na segunda rodada, o time americano venceu o Palmeira pelo placar de 3x1. Logo após amargou 4 rodadas sem marcar 3 pontos, foram 3 derrotas e 1 empate, dentre as derrotas uma foi para o ABC pelo placar de 4x2, no estádio Frasqueirão. O América só voltou a vencer na sétima rodada e não parou, bateu o ASSU por 4x1, o Potiguar de Mossoró por 6x1 e por fim venceu o Santa Cruz-RN com um placar mais apertado, 2x1.
O América de Natal conseguiu então garantir a classificação para a semifinal. Enfrentou o Santa Cruz e venceu: 3x1 para o Mecão, passando assim para a final do primeiro turno do campeonato e enfrentando o ABC, que bateu o Coríntians de Caicó. Na final, com jogos de ida e volta, o dragão caiu nos dois, pelo placar de 1x0 para a equipe alvinegra. Ao fim da ultima partida, o técnico Flávio Araújo pediu demissão.
O time vermelho da capital potiguar, após dois jogos da saída do ultimo treinador, foi anunciado oficialmente a contratação de Roberto Fernandes como novo técnico. Roberto Fernandes comandou seu primeiro jogo no América, no Campeonato Potiguar de Futebol de 2012 contra o Baraúnas, fora de casa e perdeu pelo placar de 1x0. Depois a equipe embalou e venceu por 3 rodada consecutivas, inclusive venceu o clássico rei, porém não marcou mais 3 pontos nas 3 rodadas restantes, mas se classificou para a semifinal em quarto colocado. Enfrentou o ABC na semifinal e ganhou, com placar de 2x1. Partiu para a final do segundo turno e foi campeão diante do Baraúnas, venceu todos os dois jogos, o primeiro 4x1 e o segundo 2x0.
Na final do campeonato, onde se enfrentaria o campeão do primeiro e segundo turno, América e ABC duelaram nesta grande decisão. No primeiro jogo, o América venceu de virada por 2x1, com gols de Isac e Lúcio. Na segunda partida, venceu por 2x0, em pleno Frasqueirão, com gols de Wanderson e Fabinho. O América entrou em campo com Fabiano; Norberto, Cléber, Edson Rocha e Wanderson; Ricardo Baiano, Fabinho, Márcio Passos e Júnior Xuxa (Nata); Isac e Lúcio (Pingo).
Assim, o América consagrou-se campeão potiguar 2012.
FANATISMO PELO MECAO 

Era Roberto Fernandes: 2012 - 2013

A Era Roberto Fernandes teve início no dia 05 de março de 2012 e fim em 20 de julho de 2013.[6] Flávio Araújo foi o técnico anterior, pediu demissão após ter perdido clássico contra o ABC, essa era a 3ª derrota seguida para o rival. Roberto Fernandes comandou o América de Natal em 91 partidas oficiais, foram 40 vitórias, 24 empates e 27 derrotas, tendo um aproveitamento aproximado de 52,8%. Conquistou o Campeonato Potiguar 2012. No tempo que esteve no comando do América ele nunca perdeu para o maior rival, ABC, foram 8 jogos disputados e nenhuma derrota.
Em 2012, Roberto Fernandes fez uma boa campanha na Série B, liderou o campeonato por uma vez, esteve no G4 13 vezes, sendo 12 partidas seguidas, também nunca esteve abaixo da 10ª posição. Começou bem, goleou o Goiás por 5x2, em seguida venceu o Avaí, Guaratinguetá, empatou com o Vitória e venceu o Bragantino até perder para o São Caetano fora de casa.
Em 2013 as coisas balançaram. Na Copa do Nordeste fez uma péssima campanha, acabou sendo demitido, porém voltou ao cargo após o primeiro jogo e primeira derrota do técnico substituto. No Campeonato Potiguar esteve muito bem, manteve uma inacreditável e incrível invencibilidade de 18 partidas, tudo corria bem, até a perda do campeonato para o Potiguar de Mossoró, o América de Natal acabou por ser vice-campeão. Na Série B 2013 não passou da 9ª rodada, caiu do cargo após a derrota para o Paraná, o clube havia apenas somado 6 pontos (uma vitória, 3 empates e 5 derrotas).
Estima-se que pouco mais da metade da torcida americana não concordou com a demissão do treinador, Roberto Fernandes, que acabou apelidado carinhosamente pelo adeptos do América de Natal de O Mito. Ele deixou o clube alvirrubro considerado um dos melhores técnicos que já passaram pelo Mecão e tornou-se uma espécie de xodó da torcida.
O treinador retornou ao clube nos últimos meses de 2014 e permaneceu até o outubro de 2015. Nesse período ainda conquistou o título do campeonato potiguar, dando ao América o título de campeão centenário, uma vez que o time alvirrubro e seu maior rival local completaram 100 anos em 2015. Mas ainda hoje se mantém no cargo.
Pelo América, Roberto Fernandes já conquistou dois títulos para o clube, comandou o Mecão por 150 jogos com 69 vitórias, 36 empates e 45 derrotas, um aproveitamento de 54%. Sob o seu comando, foram marcados 236 gols e sofridos 190.

O pioneirismo na Arena

Em 26 de Janeiro de 2014, o América de Natal fez a inauguração da Arena das Dunas em um partida válida pela Copa do Nordeste, o clube rubro venceu o Confiança pelo placar de 2 a 0. O primeiro gol da Arena foi marcado pelo zagueiro Adalberto. Naquela ocasião o América entrou em campo com: Andrey; Adalberto, Edson Rocha e Cléber; Fabinho, Márcio Passos, Jean Cléber, Rafinha (Rubinho) e Raí (Régis Potiguar); Adriano Pardal e Alfredo (Isac). Equipe comandada por Leandro Sena. Gols foram marcados por Adalberto e Adriano Pardal.
No primeiro clássico disputado na Arena deu vermelho. O Mecão venceu o ABC por 1 a 0, gol de Adriano Pardal. Além do primeiro gol marcado, da primeira vitória, do primeiro clássico vencido, o clube ainda foi o primeiro a levantar uma taça de campeão na Arena Fato ocorrido no dia 30 de Abril de 2014, naquele dia, o alvirrubro entrou em campo com: Fernando Henrique; Fabinho, Edson Rocha, Cléber e Alex Barros; Val (Marcelinho), Márcio Passos, Jean Cléber e Arthur Maia; Max (Isac) e Rodrigo Pimpão (Adriano Pardal). Time comandado por Oliveira Canindé. O Mecão foi campeão do Campeonato Estadual em partida contra o Globo FC, vitória no jogo de ida em Ceará-Mirim de 2 a 1 e 0 a 0 em Natal. Atualmente o recorde de público da Arena ainda pertence ao América, 30.575 espectadores, contra o Flamengo, pela Copa do Brasil de 2014.



ESTADIO NATAL RN


Títulos
Futebol
Cscr-featured.pngCampeão invicto
Regionais
        Competição      Títulos  Temporadas
        Copa do Nordeste         1         1998
        Taça Norte-Nordeste   1         1973 Cscr-featured.png
Estaduais
        Competição      Títulos  Temporadas
Campeonato Potiguar           35       1919, 1920 Cscr-featured.png, 1922, 1924, 1926, 1927 Cscr-featured.png, 1930, 1931 Cscr-featured.png, 1946, 1948, 1949, 1951, 1952 Cscr-featured.png, 1956, 1957, 1967, 1969, 1974 Cscr-featured.png, 1975, 1977, 1979, 1980, 1981, 1982 Cscr-featured.png, 1987, 1988, 1989, 1991, 1992, 1996, 2002, 2003, 2012, 2014 e 2015
Torneio Início          14         1919, 1929, 1932, 1934, 1948 Cscr-featured.png, 1949, 1952, 1953 Cscr-featured.png, 1955 Cscr-featured.png, 1969, 1971, 1982 Cscr-featured.png, 1984 Cscr-featured.pnge 1991
Taça Cidade do Natal          11       1972, 1973 Cscr-featured.png, 1974 Cscr-featured.png, 1975 Cscr-featured.png, 1976, 1977 Cscr-featured.png, 1985, 1987, 1988, 1994 e 1995
Taça Cidade de Mossoró     2         1987 Cscr-featured.pnge 1990 Cscr-featured.png
Copa RN                  3           2006, 2012 e 2013
Copa Cidade de Natal         3         2014 Cscr-featured.png, 2015 Cscr-featured.png, 2016

Uniformes
Uniformes de jogo atuais
  • 1º Uniforme - Camisa vermelha, calção branco e meias vermelhas;
  • 2º Uniforme - Camisa branca, calção vermelha e meias brancas;
  • 3º Uniforme(Goleiro) - Camisa azul, calção azul e meias azuis.

IDOLOS
Goleiros
Ubirajara        Juca Eugênio Fabiano Andrey   



Zagueiros
Mário Braga        Djalma Gito Joel Santana Scala Roni Robson Cléber Edson Rocha        



Laterais
Ivan Silva Dênis  Eduardo Arroz Iván González Norberto    



Volantes



Meio-Campistas
Sandoval Véscio Valério Hélcio Jacaré Baíca Sinha Richardson Rodrigo Tabata Moura Souza Gian Clayton Zé Gobar Leandro Sena Madson Biro Biro Assis Cascata    

Atacantes
Gilvandro Reinaldo Derlei Nilo Gilson Porto Pernambuco Santa Cruz Pancinha Paulinho Kobayashi  Saquinho Jacaré Sandro Gaúcho Helinho Sandro Hiroshi Nunes Geovane Paulo Isidoro Rodrigo Astudillo Max Mazinho Isac Lúcio Curió Rodrigo Pimpão     
TIME DOS SONHOS DO AMÉRICA DE NATAL




FATOS HISTÓRICOS

  • A primeira partida oficial disputada no estado do Rio Grande do Norte foi América 3 x 0 ABC, realizada em 22 de junho de 1919, válida pelo primeiro Campeonato Potiguar de Futebol, organizado à época pela Liga de Desportos Terrestres.
  • Nesse mesmo ano de 1919, o América venceu o campeonato sagrando-se o primeiro campeão estadual do Rio Grande do Norte.
  • O atacante Nilo Braga, que fez parte do elenco americano do título de 1919 com apenas 15 anos, posteriormente jogou no Fluminense, Botafogo e Seleção Brasileira, inclusive disputando a Copa do Mundo de 1930.
  • O América ficou licenciado da Federação Norteriograndense de Futebol (FNF) durante 6 anos, entre 1960 e 1965, não disputando campeonatos oficiais, quando se dedicou à construção de sua sede social na Rua Rodrigues Alves, bairro do Tirol
  • Em 1974, o América se sagrou Campeão Potiguar de maneira invicta, disputando 20 jogos e obtendo 12 vitórias e 8 empates.
  • Em 1996, o time potiguar foi vice-campeão da Segunda Divisão do Brasileiro e ganhou o direito de participar da primeira divisão no ano seguinte. Em sua volta à elite, fez uma campanha média e terminou o campeonato em 15º lugar, à frente de clubes poderosos como Corinthians e Fluminense.
  • O América em 1973, sagrou-se vencedor, de maneira invicta, da Taça Norte-Nordeste que envolveu clubes do Norte-Nordeste do Brasil. Em 1998, conseguiu a sua maior glória, sagrando-se campeão da Copa do Nordeste, vencendo na final, no dia 4 de junho, o Vitória pelo placar de 3x1, com gols de Biro-Biro, Paulinho Kobayashi e Carioca. O América formou com Gabriel; Gilson, Paulo Roberto (André), Lima e Rogerinho; Montanha, Carioca, Biro-Biro e Moura; Paulinho Kobayashi e Leonardo (Vanderlei).
  • No dia 10 de junho de 2006, o América venceu, por 3 x 1, o seu maior rival, o ABC, na primeira partida disputada entre eles no estádio próprio do ABC.
  • O América é o time mais vice-campeão do Brasil, com 42 vices no Campeonato Potiguar, um na Série B e outro na Série C[8] .
  • No dia 25 de novembro de 2006, o América foi promovido para a Série A do Campeonato Brasileiro, após um empate em 2 a 2 com o Atlético Mineiro, já campeão antecipadamente, no Mineirão, com 74.694 pagantes (maior público do ano no Brasil), depois de estar perdendo por 2 a 0. Esse empate sofrido deixou o América em 4º lugar, com 61 pontos no Campeonato Brasileiro da Série B, garantindo a sua volta à Série A depois de 8 anos ausente. Ao final do jogo, o América deu volta olímpica no estádio e foi aplaudido pela torcida adversária.
  • O América foi o primeiro clube a conseguir dois acessos consecutivos no Campeonato Brasileiro. Esse feito foi conquistado com o acesso da Série C para Série B, em 2005 e da Série B para Série A em 2006.
  • O América esteve à 12 jogos sem perder pro seu maior rival, o ABC. A ultima vitória foi no dia 06/04/2014, pelo Campeonato Potiguar, ABC 0x1 América. A maior série invicta da história é do América, 24 partidas oficiais sem perder para o ABC.
  • Em 2014, o América bateu o recorde de público da Arena das Dunas (jogos entre clubes), público total de 30.575 e renda de R$ 1.415.825,00. A Arena tem capacidade atual de 31.375, todos ingressos foram vendidos, porém não alcançou lotação máxima devido ao grande número de ingressos nas mãos de cambistas que não conseguiram vender pelo alto valor pedido por eles ou foram presos por tal prática ilegal.

Recordes
Conquistas consecutivas no Campeonato Potiguar
  • 1 tetra-campeonato: 79/80/81/82.
  • 1 tri-campeonato: 87/88/89.
  • 10 bicampeonatos: 1919/20, 26/27, 30/31, 48/49, 51/52, 56/57, 74/75, 91/92, 2002/2003 e 2014/2015

AMÉRICA RN CAMPEAO 1919

AMÉRICA RN 1947

AMÉRICA RN 1957 campeão estadual Em pé Chico Mauricio Papagaio Edvaldo Marçal e Mauro agachados gilvandro juarez ceziamar saquinho e wallace

AMÉRICA RN 1966 SalvadorLamas Dwight Assis JorgeMoura BiraMota  ZéSilum e Macarrão agachados washington bel toinho dodoca arturzinho totinha e eunélio

AMÉRICA RN 1971

AMÉRICA RN 1972 juca claudio djalma amaro batata duda bagadao luiz nunes nauva chiquinho

AMÉRICA RN 1972

AMÉRICA RN 1973

AMÉRICA RN 1973 CAMPEAO DA TACA ALMIR

AMÉRICA RN 1977

AMÉRICA RN 1974

AMÉRICA RN 1975 em pé ivansilva ubirajara zeca odélio mariobraga olimpio agachados reinaldo pedrada washington helciojacaré e ivanildo

AMÉRICA RN 1975

AMÉRICA RN 1975  em pé otávio ivansilva mariobraga djalma edinho e cosme agachados macarrãomnassagista jangada garcia santacruz helcio e reinaldo (2)

AMÉRICA RN 1975

AMÉRICA RN 1977

AMÉRICA RN 1977

AMÉRICA RN 1979

AMÉRICA RN 1979

AMÉRICA RN 1980

AMÉRICA RN 1981em pe cesar ivan jailson lucio baltazar e wassil agachados sandoval norival militão dididuarte e severinho (1)

AMÉRICA RN 1981 em pe cesar ivan jailson lucio baltazar e wassil agachados sandoval norival militão dididuarte e severinho (2)


AMÉRICA RN 1983

AMÉRICA RN 1983

AMÉRICA RN 1984

AMÉRICA RN 1985

AMÉRICA RN 1986

AMÉRICA RN 1987

AMÉRICA RN 1988

AMÉRICA RN 1988

AMÉRICA RN 1989

AMÉRICA RN 1989

AMÉRICA RN 1989

AMÉRICA RN 1990

AMÉRICA RN 1990

No hay comentarios:

Publicar un comentario